engolir sapos

A ARTE DE ENGOLIR SAPOS

Vivemos o tempo do olho por olho e dente por dente!
Do mexe comigo não porque sou ungido! Do bateu levou! Saiu da minha denominação é o mesmo que escolher ir para inferno, persigo mesmo!
Mas é assim que um seguidor de Jesus deve se comportar?
Como Jesus se comportou quando foi perseguido e caluniado? Quando foi chamado de Belzebu e quando foi crucificado?
Em nenhum momento ele amaldiçoou seus opositores. Em nenhum momento ele usou seu poder para destruir seus inimigos, aliás esse foi um dos motivos da rejeição do povo de Israel eles esperavam um rei que destruísse todos os seus inimigos debaixo de seus pés. Eles não esperavam um Rei pacífico, perdoador, que ensinava a amar os inimigos.
E hoje, a quem você está seguindo?
O deus que esmaga seus inimigos ou o Deus que ama seus opositores? O deus da vingança?
Simples! Como você age quando é contrariado?
Quando você ouve algo que não gosta.
Como você age quando algum irmão sai da sua igreja indo para outra? Você o amava e agora você quer vê-lo derrotado, na lama… Ele se tornou seu inimigo, rejeitou você e sua denominação agora você deseja que Deus pese a mão sobre ele! Você se alegra quando fica sabendo que ele não está bem e ainda diz, viu!
Você revida imediatamente quando é contrariado?
Se você age assim você não é um seguidor de Jesus; Você pensa ser, mas não é!
Jesus foi um engolidor de sapos! Ele foi como cordeiro mudo para o matadouro! Isaías 53:7. Ele amou seus inimigos. mateus 5:38-47.
A arte de engolir sapos é para seguidores de Jesus Cristo o Nazareno!
Quantos querem usar a fé para destruir o próximo, articulando perseguições, vinganças, palavras de ódio, maldições…
Caro e amado irmão se você age assim é tempo de se converter e se tornar um discípulo de Jesus Cristo!
Pedro aprendeu a lição, veja o que ele escreve em I Pedro 3: 8 e 9. Concluindo, tende todos vós o mesmo modo de pensar, demonstrai compaixão e amor fraternal, sede misericordiosos e humildes, não retribuindo mal com mal, tampouco ofensa com ofensa; ao contrário, abençoai; porquanto, foi justamente para esse propósito que fostes convocados, a fim de também receberdes bênção como herança.
Grande abraço!
Pr. Daniel Moura

VULNERABILIDADE 1

VULNERABILIDADE

Viver uma vida abundante quer dizer abraçar a vida a partir de um sentimento de amor-próprio. É entender que é impossível amar a Deus sem amar o próximo e a si mesmo. Ao acordar precisamos nos encher de coragem, compaixão e vínculos suficientes para pensar: “Não importa o que eu fiz ou deixei de fazer Deus me ama! Eu sou um filho amado de Deus! Ao ir para cama à noite aceite que:  “Sim, sou imperfeito, vulnerável, muitas vezes sinto medo, mas isso não muda a verdade de quem Deus me criou para ser! Sou corajoso e minha coragem não é representada pelas vitórias constantes mas pelo ímpeto de nunca desistir e de confiar sempre!
Todos os dias precisamos entender que nossa fraqueza é aperfeiçoada em Deus, e que amor e aceitação são necessidades irredutíveis de todas as pessoas, afinal fomos criados para formar vínculos com os outros, isso da sentido a nossa existência. Nesses vínculos sofreremos vários julgamentos. Nos julgarão sobre nossas derrotas, sobre nossos êxitos, alguns virão para nos levantar e outros para nos derrubar porém, esses julgamentos não determinam sobre o que Deus já determinou, que sua graça me basta. 2 Coríntios 12:9. A ausência de aceitação sempre leva ao sofrimento experimente repetir as frases abaixo todos os dias, pela manhã e ao deitar-se:
– Sou um filho amado de Deus!
– Deus me aperfeiçoa nas minhas fraquezas!
– Sou aceito por Deus como sou!
– Posso amar a Deus e aos outros porque me amo!
– Minhas fraquezas não me distanciam de Deus, pois seu amor é incondicional!
Experimente cultivar a autenticidade; ela te liberta do que os outros pensam sobre você.
Cultive a compaixão; ela te livra do perfeccionismo.
Cultive gratidão; esse sentimento te conduz a novas conquistas.
Cultive sua fé; ela te liberta da necessidade das certezas.
Cultive risadas, música e dança; perceba que o mundo é maior que você e que você não precisa estar sempre no controle.
Desejo de coração que você viva dias mais felizes, longe da incerteza da insegurança e firme na convicção do inabalável AMOR DE DEUS!
Você conhece alguém que precisa dessa palavra? Envie para ela!
Se você foi abençoado, compartilhe!
Grande abraço!
Pastor Daniel Moura
Herança emocional

HERANÇA EMOCIONAL DOS NOSSOS ANTEPASSADOS

Por: Edith Cassal- compartilhado por Annete Krebs.

Este texto é um estímulo para levantarmos com entusiasmo a nossa árvore genealógica)

A herança emocional é tão decisiva quanto intransigente e impositora. Estamos enganados quando pensamos que a nossa história começou quando emitimos o nosso primeiro choro. Pensar dessa forma é um erro, porque assim como somos o fruto da união do óvulo e do esperma, também somos um produto dos desejos, fantasias, medos e toda uma constelação de emoções e percepções que se misturaram para dar origem a uma nova vida.

Atualmente falamos muito sobre o conceito de “história familiar”. Quando uma pessoa nasce, ela começa a escrever uma história com suas ações. Se observarmos as histórias de cada membro de uma família, encontraremos semelhanças essenciais e objetivos comuns. Parece que cada indivíduo é um capítulo de uma história maior, que está sendo escrita ao longo de diferentes gerações.

Esta situação foi muito bem retratada no livro “Cem Anos de Solidão”, de Gabriel García Márquez, que mostra como o mesmo medo é repetido através de diferentes gerações até que se torna realidade e termina com toda uma linhagem. O que herdamos das gerações anteriores contem também os pesadelos, os traumas e as experiências mal resolvidas.

A herança de nossos antepassados que atravessa gerações

Esse processo de transmissão entre as gerações é algo inconsciente. Normalmente são situações ocultas ou confusas que causam vergonha ou medo. Os descendentes de alguém que sofreu um trauma não tratado suportam o peso dessa falta de resolução. Eles sentem ou pressentem que existe “algo estranho” que gravita ao seu redor como um peso, mas que não conseguem definir o que é.

Por exemplo, uma avó que foi abusada sexualmente transmite os efeitos do seu trauma, mas não o seu conteúdo. Talvez até mesmo seus filhos, netos e bisnetos sintam uma certa intolerância em relação à sexualidade, ou uma desconfiança visceral das pessoas do sexo oposto, ou uma sensação de desesperança que não conseguem explicar.

Essa herança emocional também pode se manifestar como uma doença. O psicanalista francês Françoise Dolto, disse, “o que é calado na primeira geração, a segunda carrega no corpo”.

Assim como existe um “inconsciente coletivo “, também existe um “inconsciente familiar”.

Nesse inconsciente estão guardadas todas as experiências silenciadas, que estão escondidas porque são um tabu: suicídios, abortos, doenças mentais, homicídios, perdas, abusos, etc. O trauma tende a se repetir na próxima geração, até encontrar uma maneira de tornar-se consciente e ser resolvido.

Esses desconfortos físicos ou emocionais que parecem não ter explicação podem ser “uma chamada” para que tomemos consciência desses segredos silenciados ou daquelas verdades escondidas, que provavelmente não estão na nossa própria vida, mas na vida de algum dos nossos antepassados.

O caminho para a compreensão da herança emocional

É natural que diante de experiências traumáticas as pessoas reajam tentando esquecer. Talvez a lembrança seja muito dolorosa e elas acreditam que não serão capazes de suportá-la e transcendê-la. Ou talvez a situação comprometa a sua dignidade, como no caso de abuso sexual, em que apesar de ser uma vítima, a pessoa se sente constrangida e envergonhada. Ou simplesmente querem evitar o julgamento dos outros. Por isso, o fato é enterrado e a melhor solução é não falar sobre assunto.

Este tipo de esquecimento é muito superficial. Na verdade, o tema não está esquecido, a lembrança é reprimida. Tudo que reprimimos se manifesta de uma outra forma. É mais seguro quando volta através da repetição.

Isto significa que uma família que tenha vivenciado o suicídio de um dos seus membros provavelmente vai experimentá-lo novamente com outra pessoa de uma nova geração. Se a situação não foi abordada e resolvida, ficará flutuando como um fantasma que voltará a se manifestar mais cedo ou mais tarde. O mesmo se aplica a todos os tipos de trauma.

Cada um de nós tem muito a aprender com os seus antepassados. A herança que recebemos é muito mais ampla do que supomos nela poderemos encontrar a causa de muitos de nossos sofrimentos e desgraças.

Qual a tua herança positiva e negativa de teus antepassados? O que fazer com o herdado devemos perpetuar, repetir, salvar, negar, encobrir as feridas destes eventos transformados em segredos, ou entender, aprender e transcender?

 

Todas as informações que pudermos coletar sobre os nossos antepassados serão o melhor legado que podemos ter e deixar para nossos descendentes. Saber de onde viemos, quem são essas pessoas que não conhecemos, mas que estão na raiz de quem somos, é um caminho fascinante que só nos trará benefícios. Isto nos ajudará a dar um passo importante para chegar a uma compreensão mais profunda de qual é o nosso verdadeiro papel no mundo.

Compartilhe!

Indique para um amigo!

21751781_1500932739986864_7742146921595538463_n

Não cometa suicídio intelectual!

Muitos cristãos abandonam suas vidas por conta da mentalidade pré milenista que ensina que já que em breve serei arrebatado e esse mundo será queimado, eu não preciso investir no meu futuro. Muitos nem pensam em estudar, não há investimento na área acadêmica, profissional, muitas vezes nem mesmo na familiar. Há um sentimento enganoso de urgência (Preciso trabalhar para Cristo, porque ele está voltando!). Trabalhar para Cristo também é investir na sua vida intelectual, no seu crescimento como indivíduo, como profissional…. A mentalidade pré milenista está impregnada em toda teologia Latino Americana, por isso é comum você ouvir Pastores incentivando seus membros a largar os estudos, o trabalho e até a família afirmando que essas áreas podem atrapalhar a vida espiritual, causando um distanciamento das coisas de Deus (Cultos!).

Meus queridos o que é Reino de Deus se não transformar a sociedade através da sua palavra! E como eu vou transformar a sociedade se eu não me envolvo com ela? Fomos chamados para ser luz em meio as trevas, mas o que vemos é contrário disso, fazemos da igreja um casulo onde nos refugiamos do mundo que jaz no maligno, acreditamos que tudo fora da igreja é mal, está contaminado pelo diabo e será destruído… Essa mentalidade religiosa tem lotado igrejas de pessoas religiosas que vivem de culto em culto sentindo o mover de Deus, porém estacionadas em suas vidas como árvores egoístas que preferem ver seus frutos caindo no chão do que permitir que aves de toda espécie venham se alimentar deles. Tanto talento enclausurado dentro dos templos numa briga constante de egos. Para que serve o poder de Deus se não para manifestarmos esse poder num mundo caído e carente dessa manifestação. Atos 2 o dia de Pentecoste marcou o desejo de Deus em encher seus filhos com o Espírito Santo para que eles pudessem com esse poder levar o Reino de Deus as nações. Por isso eles falaram naquele dia as línguas das nações. Pentecostes foi um sinal e um envio ao evangelismo mundial! Hoje geramos cristãos para a denominação e não para o Reino! Geramos nos novos convertidos a mentalidade de medo do mundo!
– Não se envolva com o mundo porque ele vai te tragar te distanciando da igreja! A igreja está criando uma geração de crentes imaturos e fracos na fé com essa orientação, eu creio que devemos ensinar justamente o contrário disso! – Vá, se envolva, cresça, tenha relacionamentos, se envolva nas artes, na cultura, na política…. Não se deixe contaminar pelo mundo mas contamine o mundo com o amor de Deus! O grande problema é que temos um sistema de conversão frágil, onde muitas pessoas não se converteram verdadeiramente, esses indivíduos sim, em contato com o mundo serão engolidos por ele, mas o cristão verdadeiramente convertido não, através do seu testemunho ele brilha como luz em meio as trevas.
Na oração de jesus em João 17 ele faz declarações importantíssimas a respeito dessa questão, destaco algumas aqui: Assim como tu me enviaste ao mundo, também eu os enviei ao mundo –João 17:18. Estando eu com eles no mundo, guardava-os em teu nome. Tenho guardado aqueles que tu me deste, e nenhum deles se perdeu, senão o filho da perdição, para que a Escritura se cumprisse – João 17:12. Não peço que os tires do mundo, mas que os livres do mal – João 17:15.
Oro por cristãos envolvidos na artes, na cultura secular, política… Cristãos de verdade que façam a diferença na sociedade! Oro por cristãos que se envolvam com a sociedade e que não fujam dela! Oro por cristãos que se tornem uma referência nas áreas da vida! Oro por cristãos que compreendam que Reino de Deus não é apenas culto ou templo, mas Reino de Deus é onde eu estou levando a imagem e semelhança do Deus vivo! Enchemos os crentes de cultos com o intuito de aumentar a espiritualidade, ótimo mas espiritualidade que não frutifica é religiosidade! Precisamos dar tempo para que os cristãos manifestem essa espiritualidade no mundo e não somente na igreja!
Lembre- se, Jesus disse: “Observai! Eu vos envio como ovelhas entre os lobos. Sede, portanto, astutos como as serpentes e inofensivos como as pombas. Mateus 10:16”.
Bem queridos tenho muita coisa para escrever sobre esse assunto, mas vou parar por aqui, logo volto com esse tema novamente!
Se você gostou, compartilhe, indique!
Abraços.
Pr. Daniel Moura

DESPERTE

DESPERTE! VOCÊ JÁ FOI ALISTADO PARA ESSA GUERRA!

“Deus, então, fez o povo dar a volta pelo caminho do deserto, pelo Mar vermelho embora os filhos de Israel tivessem saído armados do Egito. Êxodo 13:18”

O povo de Deus agora liberto da escravidão saiu armado do Egito. Todo homem liberto por Deus é imediatamente armado por ele, não com lanças ou espadas, mas com armas espirituais poderosas em Deus. “Porque as armas da nossa milícia não são carnais, mas sim poderosas em Deus para destruição das fortalezas;” Destruindo os conselhos, e toda a altivez que se levanta contra o conhecimento de Deus, e levando cativo todo o entendimento à obediência de Cristo; (II Cor. 10: 4-5).

Por que Deus arma todo aquele que foi liberto do domínio de satanás? Essa é uma prova de que todos nascidos de novo já foram alistados para guerra. A guerra espiritual não é uma opção, todo homem desde sua concepção está envolvido na guerra; e todo nascido de novo não só está envolvido, mas também foi equipado para ela.

Ás vezes não entendo líderes e até mesmo pastores que decidem não se envolver na guerra espiritual, esses amados ainda não perceberam que querendo ou não, já estão inclusos na batalha! Satanás não quer saber se você quer ou não lutar contra ele, nesse momento ele está lutando contra você e com uma grande vantagem; quando não reconhecemos a guerra espiritual ao nosso redor e somos atacados sem nos defender ele ganha terreno em nossa vida para trabalhar, por isso Paulo disse: “Porque não ignoramos os seus ardis.” (II Coríntios 2: 11). Nem Jesus foi poupado, mas foi levado pelo espírito ao deserto para ser tentado por satanás. Mateus 4:1

Você consegue imaginar quantas almas satanás está conduzindo para o inferno nesse momento? Isso não toca o seu coração? Como você reage diante da ordem de Jesus: E disse-lhes: Ide por todo o mundo,pregai o evangelho a toda criatura. Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado. E estes sinais seguirão aos que crerem: Em meu nome expulsarão os demônios; falarão novas línguas; pegarão nas serpentes; e, se beberem alguma coisa mortífera, não lhes fará dano algum; e porão as mãos sobre os enfermos, e os curarão. Marcos 16:15 – 18. Imediatamente quando vocêanuncia o evangelho a alguém, você está declarando guerra aos demônios que escravizam aquela pessoa e é impossível levar o evangelho sem levar libertação.

Jesus deixa claro no texto acima que todo cristão nascido de novo foi enviado para:  PREGAR – BATIZAR – EXPULSAR DEMÔNIOS – CURAR OS ENFERMOS. Repito, é impossível levar a verdade do evangelho a alguém sem levar a libertação.

Desejo de coração que essa simples palavra desperte sua vida para cumprir a missão dada por Jesus a igreja. Desejo que você se levante e comece a usar suas armas, tire-as do armário, afinal elas a ti foram entregues para serem usadas nessa guerra. Que você se revista de toda armadura de Deus Efésios 6:10 – 18conquistando a sua libertação e levando libertação a todo perdido.

Obedeça a ordem!

Matheus 10: 6 – 8 Mas ide antes às ovelhas perdidas da casa de Israel; E, indo, pregai, dizendo: É chegado o reino dos céus. Curai os enfermos, limpai os leprosos, ressuscitai os mortos, expulsai os demônios; de graça recebestes, de graça dai.

Lembre-se: “Todo o homem precisa de libertação, seja ele crente ou não”!

É tempo de ser livre! É tempo de assumir nossa posição nessa guerra onde o nosso comandante é CRISTO!

ESTAI, pois, firmes na liberdade com que Cristo nos libertou, e não torneis a colocar-vos debaixo do jugo da servidão. Gálatas 5:1

Grande abraço!

Abençoe mais vida, compartilhe e divulgue essa palavra!

Pr. Daniel Moura

Pilares 2

OS PILARES DO SACERDÓCIO FAMILIAR

Ponde, pois, estas minhas palavras no vosso coração e na vossa alma, e atai-as por sinal na vossa mão, para que estejam por frontais entre os vossos olhos. E ensinai-as a vossos filhos, falando delas assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e deitando-te, e levantando-te; E escreve-as nos umbrais de tua casa, e nas tuas portas; Para que se multipliquem os vossos dias e os dias de vossos filhos na terra que o Senhor jurou a vossos pais dar-lhes, como os dias dos céus sobre a terra. Deuteronômio 11:18-21

A tarefa de cuidar da vida espiritual da família foi confiada ao chefe da casa, seja ele o pai a mãe ou a figura responsável devendo ser reproduzida por todos familiares. Durante a caminhada do povo de Deus no deserto, o exercício da fé era essencial para manter vivos os seus sonhos. Por isso foi estabelecida uma disciplina religiosa que proporcionasse esta espiritualidade em cada família. Muitas pessoas querem que o pastor ou um líder religioso vá até sua casa para orar e abençoar esquecendo-se que também podem e devem fazer isso constantemente. Cada cristão é sacerdote em sua família.

Como ser sacerdote na família?

Vamos meditar em alguns aspectos ensinados no texto para exercer o sacerdócio em sua própria casa, focando nos três pilares de um sacerdócio.

1- COMUNHÃO: v.18ª “Ponde, pois, estas minhas palavras no vosso coração e na vossa alma”

Uma das funções do sacerdote é a intercessão (Hebreus 7.25). Orar pelo povo é a rotina de um sacerdote. Por isso, a vida devocional é imprescindível para o sacerdócio familiar. Para que a Palavra de Deus esteja em nosso coração e alma é preciso uma dedicação em vida de leitura da Palavra e oração. Isso é comunhão com Deus. Busque a presença de Deus em sua casa orando e meditando nas Escrituras. Faça de seu lar um lugar de louvor e bênção.

Para exercer o sacerdócio no lar não é apenas ‘fazer coisas’ como rituais. É preciso realmente ‘ser’ de maneira íntegra, alguém que vive com Deus. Se o seu coração e sua alma estiverem cheios da presença de Deus, logo isso será transmitido para sua família, “porque a boca fala do que está cheio o coração” (Lucas 6.45). Então se encha da Palavra de Deus até transbordar sobre seus familiares.

Ser Sacerdote da Família é viver em COMUNHÃO com Deus!

 

2- DISCIPLINA: v.18b e 20 “atai-as por sinal na vossa mão, para que estejam por frontal entre os olhos” “Escrevei-as nos umbrais de vossa casa e nas vossas portas”

O sacerdote do lar devia ter a Palavra de Deus de maneira visível até mesmo em sua própria mão para nunca esquecer. Como diz o ditado ‘o que não é visto não é lembrado’. Isso mostra a necessidade de uma disciplina e um cuidado para não deixar para amanhã o que deve ser feito agora. A Palavra de Deus diante da mão e dos olhos indicam que podemos orar a qualquer momento; já nos umbrais das portas ensinam que ao entrar e sair de casa devemos estar em oração.

Se deixarmos para orar quando ‘der vontade’, corremos o grande risco de não fazer nada. Por isso é necessária muita determinação. Tome uma decisão de orar, ler a Palavra de Deus, cultuar de maneira disciplinada. Não deixe para orar com sua família ‘quando precisar’ e sim “orai sem cessar” (I Tessalonicenses 5.17). Escolha um dia e hora próprio para orar por sua família e com a família.

Ser Sacerdote da Família exige DISCIPLINA e determinação!

3- TESTEMUNHO: v.19 “Ensinai-as a vossos filhos, falando delas assentados em vossa casa, e andando pelo caminho, e deitando-vos, e levantando-vos”

Se o sacerdote da família tiver vida de oração e for disciplinado, mas não tiver testemunho de vida, tudo o que fizer será em vão, tornando-se um chato religioso (Tiago 1.22). Por isso o texto explica que o ensino deve acontecer durante todo o tempo da convivência familiar, tanto assentado, como andando e até deitado. Isso indica a necessidade de testemunho, pois se estiver falando uma coisa e fazendo outra é incoerente, então “falai de tal maneira e de tal maneira procedei” (Tiago 2.12).

No dia a dia da família é que se sabe quem é quem. O exemplo dentro de casa deve vir antes das palavras, para não dizer nas entrelinhas ‘faça o que eu mando e não o que eu faço’. Pregar o que não se vive é hipocrisia ou farisaísmo (Marcos 1.22).

Ser Sacerdote da Família é ser TESTEMUNHO de vida!

Seja sacerdote em sua casa!

v.21 “para que se multipliquem os vossos dias e os dias de vossos filhos na terra que o SENHOR, sob juramento, prometeu dar a vossos pais, e sejam tão numerosos como os dias do céu acima da terra”

O resultado deste sacerdócio é ter uma vida familiar longa, diferente do que vemos nos últimos dias quando as famílias se desfazem em pouco tempo. Mas a promessa de Deus para quem cumpre este ensinamento é que “se multipliquem os vossos dias e os dias de vossos filhos”. Então não perca tempo e comece a ser um sacerdote ou sacerdotisa em seu lar.

Não espere que outra pessoa venha a fazer isso, você mesmo pode ser “sacerdócio real” (I Pedro 2.9). O sacerdote do lar deve ter vida de comunhão com Deus em oração pela família, ser disciplinado no aprendizado e ensino da Palavra de Deus e principalmente dar testemunho de vida diante dos familiares.

Você é sacerdote de Deus em sua casa!

Quantas pessoas você conhece que necessitam dessa palavra? Então,  passe adiante, compartilhe, abençoe mais vidas!

Grande abraço!

Pr. Daniel Moura

Deixará

Sendo abençoado, para viver a bênção!

Todas as vezes que atendo casais percebo que não é possível tratar a maioria das situações e conflitos de forma horizontal, ou seja, entre marido e mulher. Muitos desses aconselhamentos indicavam a existência de laços problemáticos provenientes de um ou ambos os pais.

Foi aí que Deus chamou minha atenção para o texto de Gênesis 2:24. “Por isso, deixará o homem seu Pai e sua Mãe e se unirá a sua mulher, ambos serão uma só carne. ”  Começou a ficar claro que muitos casais não conseguiam manter-se unidos em várias áreas de suas vidas e que há sempre áreas de total incompatibilidade que eram difíceis de serem trabalhadas então, comecei a perguntar ao Senhor a razão de tal problema, a resposta veio através do texto acima.

Em qualquer área de sua vida em que você não consiga exercer o ato de partir, é impossível que você alcance unidade. A despedida emocional das suas raízes abre espaço em sua mente para se unir ao novo!

O que o texto quer dizer com “deixar pai e mãe? ”  O texto não é sobre uma mudança geográfica é uma ação de partir que procede da emoção e do coração. Ao se casar você não precisa mudar de cidade para partir da casa de seus pais, a união a realidade do casamento já provoca essa mudança. O grande problema é que não deixamos pai e mãe em todas as áreas de nossas vidas, por isso se torna impossível a união completa com nosso cônjuge. No aconselhamento entendi a necessidade de trabalhar efetivamente o processo saudável de separação emocional do pai e mãe e só depois prosseguir tratando as demais situações.

Quando realizo casamentos levo um texto para ser lido pelos pais no ato da cerimônia. Os pais ao lerem abençoam seus filhos os liberando para crescer e se tornar uma só carne com seu cônjuge, mas, percebi que precisava ir além dessa declaração, entendi que ela faz total sentido para os pais que estão lendo, contudo, para os filhos apenas ouvir tal declaração não era suficiente pois o processo de partir é mais complexo que imaginava.

“Se um homem e uma mulher não passarem por esse processo de separação, eles não conseguirão se unir integralmente.”

Entendi que para ajudar os casais precisa partir da questão mais importante para a partida: O que leva alguém a deixar pai e mãe? O motivo dessa separação determina se o sentimento de partir está ou não resolvido dentro do coração! Partindo dessa certeza comecei a perceber que havia um padrão que se repetia na maioria dos casais, padrão esse que se repetia nas linhagens bíblicas. Os filhos que eram abençoados por seus pais passavam pelo processo de separação “partir” de forma saudável, e aqueles que por qualquer motivo não eram abençoados não conseguiam.

Me lembro de atender uma jovem senhora de 45 anos que estava noiva e que não conseguia se alegrar ou se envolver com os preparativos do casamento. Ela estava presa pela dúvida em seu coração se aquele casamento não resultaria em mais uma separação como de outras que ela teve em sua vida, foi aí que imediatamente perguntei sobre a relação dela com os pais e o que os pais achavam do casamento. Ela me respondeu dizendo que os pais amavam o genro, mas que sentiam muito perder uma filha tão boa que cuidava tanto deles. Disse também que em outros relacionamentos quando tinha algum problema ao procurar o pai para um aconselhamento o pai concluía as conversas dizendo: Na verdade você é a filhinha do papai e vai ficar aqui para cuidar de mim e de sua mãe!

Como que alguém que está emocionalmente preso a responsabilidade de permanecer sendo um só com os pais irá conseguir se tornar um só com seu cônjuge? Nesse caso o pai não estava percebendo que além de não abençoar ele ainda estava amaldiçoando! A maldição ou a falta da bênção ata a identidade aos pais e impede que haja uma união integral.

Assim como no caso dessa jovem senhora eu me deparei com diversos casos semelhantes; casamentos que não rompem, mulheres que não saem de sua adolescência emocional e por isso não dão conta de viver o matrimônio, homens que não crescem emocionalmente porque sempre foram superprotegidos pela mãe e outros.

O proposito dessa matéria é ajudá-lo a identificar algumas causas de fundo emocional que porventura estão afetando sua vida e seu relacionamento, conduzindo sua vida àquele que é capaz de resolver todas as questões da alma do homem, JESUS CRISTO, que têm um profundo desejo em curar seus filhos!

“Não há bálsamo em Gileade? Não há médico? Por que será, então, que não há sinal de melhora e cura para a enfermidade de meu povo? ” Jeremias 8:22

Há algumas formas mais comuns de manter-se preso aos pais.

  • Afastar-se do pai e desconsidera-lo! Quebrar o relacionamento pai e filho através de um divórcio emocional que declara: Se ele não quer me abençoar ou jamais pedirei a bênção dele! Não preciso da bênção dele! Agindo assim você carrega sobre si um problema não resolvido o que inconscientemente libera em você atitudes em relação ao seu companheiro que reproduzem as atitudes que você mais odeia em seu pai.

 

  •     A decisão de alcançar a bênção do pai por meios inadequados como: Quando for alguém na vida ele virá para me abençoar! Quando ele ver meus filhos crescendo me abençoará! Isso é passar a vida costurando suas conquistas ao intuito de ferir o pai e com isso alcançar a bênção. Quem age assim está atando sua vida ao passado e não consegue se unir ao seu cônjuge!

 

  •     Casar-se com alguém que os pais reprovam. Isso infelizmente isso é muito comum e nem sempre os pais aprovam a pessoa que escolhemos, eles concluem que ela nunca é suficientemente boa! Passar a vida buscando a aceitação dos pais é um atraso de vida!

 

Conclusão

A simples compreensão dessa verdade já coloca a sua vida em um nível de liberdade, contudo é importante que essa compreensão não fique apenas em sua mente mais transborde em ações. Recomendo que você coloque em oração sua relação com seus pais, peça a Deus para restaurar as brechas que ficaram abertas curando suas emoções. Sobretudo ore se liberando para crescer e para viver uma vida plena de comunhão e integração com seu cônjuge. Se você puder procure seus pais e ore com eles esclarecendo essa verdade que chegou ao seu coração, peça a eles para orar com você abençoando e liberando sua vida para crescer!

Se isso não for impossível imediatamente estude, entenda o princípio de bênção e maldição na palavra de Deus e busque em oração a oportunidade de obter a bênção e a liberação de seus pais, certamente nesse tempo Deus estará agindo em seu favor!

Hoje, passados os anos, tenho profunda consciência da importância da bênção dos pais na vida dos filhos. É a Sagrada Escritura que nos alerta da necessidade dessa bênção. Toda a Bíblia está repleta de passagens indicando a importância que Deus dá aos pais na vida dos filhos. Os pais são os cooperadores de Deus na criação dos filhos e, dessa forma, são também um canal aberto para que a bênção divina chegue aos filhos.

O livro do Deuteronômio registra o quarto mandamento: “Honra teu pai e tua mãe, como te mandou o Senhor, para que se prolonguem teus dias e prosperes na terra que te deu o Senhor teu Deus” (Dt 5,16). Desta forma, Deus promete vida longa e prosperidade àqueles que honram os pais. São Paulo disse que esse é “o primeiro mandamento acompanhado de uma promessa de Deus” (Efésios 6:2). “Honra a teu pai e tua mãe”; este é o primeiro mandamento com promessa, para que vivas bem e tenhas vida longa sobre a terra. …

Os livros dos Provérbios e de Eclesiastes estão cheios de versículos que trazem a marca da presença dos pais. Eis um deles: “Ouça, meu filho, a instrução de seu pai e não despreze o ensino de sua mãe. Eles serão um enfeite para a sua cabeça, um adorno para o seu pescoço. ”  Provérbios. 1:8-9

Não é simplesmente uma tradição do passado ou mera formalidade social. Muito mais do que isso, a Escritura nos assegura que a bênção dos pais é algo eficaz e real, isto é, um meio que Deus escolheu para agraciar os filhos. Deus quis outorgar aos pais o direito e o poder de fazer a Sua bênção chegar aos filhos. É a forma que Deus usou para deixar clara a importância dos pais. Analisemos estas passagens marcantes:

“Filho meu, ouve a instrução de teu pai e não menosprezes o ensino de tua Pois eles formarão uma coroa de bênçãos para a tua cabeça e colar de honra. ” Provérbios 1:8,9

Provérbios 4:1 “Ouvi, filhos meus, a instrução do pai; prestai atenção, a fim de alcançardes. ”

Provérbios 6:20 “Filho meu, obedece à orientação de teu pai e não abandones o ensino de tua mãe. ”

Provérbios 23:22 “Ouve o teu pai, pois ele te gerou, e não desprezes tua mãe, quando for idosa. ”

Os textos acima nos tornam conscientes da importância da bênção dos pais, e você que está lendo essa matéria pode se perguntar: O que posso fazer para mudar o passado? Realmente não é possível mudar o passado, mas é possível fazer algo no presente! Você pode agir corretamente hoje! O que você fizer certo hoje determinará a bênção sobre seu presente e sobre seu futuro e o futuro da sua geração!

Fique na paz!

Divulgue essa matéria, abençoe mais vidas!

Grande abraço.

 

Pastor Daniel Moura

masturbação

SOU CRISTÃO, COMO DEVO LIDAR COM A MASTURBAÇÃO?

Esse seria o tema do vídeo dessa semana, como estou em recuperação decidi postar o texto para abençoar sua vida!

Como cristãos temos a consciência de que o hábito da masturbação é pecaminoso; e altera as faculdades sexuais a nível cerebral. Nas escrituras podemos entender que nosso corpo é templo do Espírito Santo. O reino que Jesus Cristo inaugurou.  “Vocês não sabem que são santuário de Deus e que o Espírito de Deus habita em vocês? ”1 Coríntios 3:16.

Somos habitação de Deus! As coisas impuras não devem dividir espaço com as puras em nossa mente, por isso Paulo aconselha: “Finalmente, irmãos, tudo o que for verdadeiro, tudo o que for nobre, tudo o que for correto, tudo o que for puro, tudo o que for amável, tudo o que for de boa fama, se houver algo de excelente ou digno de louvor, pensem nessas coisas. Filipenses 4: 8”. Deus não quer nos privar de nada; pelo contrário Ele quer que seus filhos tenham experiências sexuais intensas e felizes, o que Ele nos priva é da má experiência que nos afetará negativamente! O hábito da masturbação cria no cérebro uma rotina pecaminosa, um prazer particular que se torna viciante. O prazer obtido através das fantasias é diferente do prazer com um parceiro (a); a masturbação cria um nível de fantasias ilimitado sem regras e sem pudor manifestando o nível mais profundo da nossa imoralidade. Pessoas habituadas a masturbação são maliciosas na fala, no trato, adoram palavras de duplo sentido com conotação sexual. Isso acontece porque suas mentes ficam presas no campo da fantasia fazendo com que as atitudes sejam diretamente afetadas pelo desejo do prazer constante. A masturbação é um abismo que chama outro abismo.  Salmos 42:7. O hábito leva a pessoa cada vez mais longe, a fantasia não se basta em imaginar uma simples relação, a mente procura mais sensações, mais prazer, visitando campos proibidos e estabelecendo ali profundas raízes. É comum ver pessoas insatisfeitas buscando outras fontes de prazer na mente; sexo grupal, bestialidade, sadomasoquismo, necrofilia e outras práticas piores e mais terríveis. A masturbação afeta a relação sexual, e as relações humanas! Pessoas presas ao prazer da masturbação tem dificuldade com as relações comuns, embora os dois tipos levem ao orgasmo, mas são prazeres diferentes para o cérebro. Na relação física o parceiro habituado a masturbação tende a tentar realizar com a parceira as fantasias experimentadas na masturbação, o que geralmente não é possível, isso o leva a um conflito de prazer! É comum utilizar pornografia para o prazer solitário, porém é difícil para mente entender que esse mundo de fantasia na maioria das vezes não se tornará uma realidade, há limites nas relações sexuais humanas, aquilo que se vê nos filmes é fantasia, representação, mas a masturbação tende a trazer a fantasia para o campo da realidade. O indivíduo habituado a masturbação troca constantemente de parceiros, ele busca incansavelmente um parceiro que atenda suas necessidades transformando suas fantasias em realidade. Essa é a causa de muitos conflitos nos casamentos, se um dos parceiros é habituado a masturbação ele tentará fazer com o outro o que imaginou no ato da masturbação, porém a realidade é outra,  se o esposo é habituado a masturbação é preciso que ele entenda que a esposa não é a garota do filme que aceita ser xingada, humilhada, machucada, o casamento é uma relação de amor e o amor é respeitoso, então o não experimentar do prazer desejado torna a relação morna fazendo com que o parceiro volte ao ciclo vicioso da masturbação. Muitos maridos exigem sexo anal de suas esposas porque realizam essa fantasia no campo da masturbação.

Segue algumas recomendações que podem ajudar a vencer esse hábito.

O primeiro passo para abandonar a masturbação: Siga o conselho de Paulo em II Timóteo 2:22 “Foge, também, das paixões da tua mocidade.” Afaste da sua vida coisas como pornografia, namoro com carícias, ficar, filmes com cenas de nudez ou sexo mesmo que leve. Evite conversas estimulantes, fotos eróticas, exposições vulgares nas redes sociais etc… Tudo isso é fugir das paixões! Tais coisas só servem para alimentar a imaginação estimulando você a masturbação.

Segunda recomendação: Pratique algum tipo de esporte! Os hormônios são grandes geradores de energia e se essa energia não for gasta, se transforma em tensão sexual. A atividade física manterá seu nível sexual estabilizado!

Terceira recomendação: Mude sua dieta! A tensão sexual também é provocada pelo acumulo de energia, assim se tiver uma dieta mais natural, irá evitar a produção excessiva de energia.

Quarta recomendação: Controle suas vontades! Aprender a dizer não as nossas vontades por mais simples que ela seja é fundamental para o domínio de atos pecaminosos. Entendemos que muitos alimentos por mais gostosos que sejam são prejudiciais à saúde, mas mesmo assim continuamos comendo pelo prazer que ele nos oferece! Milhares de pessoas mundo afora estão destruindo seus corpos simplesmente pelo prazer de comer! Milhares de pessoas estão destruindo suas mentes simplesmente pelo prazer da masturbação! Comece a dizer não para os pequenos prazeres destrutivos e você conseguirá resistir aos grandes!

Quinta recomendação – Aos Pais! Tenham acesso as redes sociais de seus filhos! Exija as senhas do celular, notebook, computador… Senhas das redes sociais. Visite constantemente o histórico de pesquisas, sites acessados, etc… Não podemos confiar na capacidade de discernimento de uma criança ou de um adolescente, o mundo jaz no maligno. 1 João 5:19. Todo cuidado é pouco! Não é invasão de privacidade, mas zelo e cuidado! Essa recomendação é válida para o o relacionamento conjugal onde não deve haver segredos, senhas escondidas, mas a plena liberdade e verdade entre os cônjuges.

Na próxima semana continuo com o tema sexualidade, porém abordando os prejuízos da pornografia na mente humana.

Se você foi abençoado, compartilhe essa matéria, abençoe mais vidas!

Um grande abraço!

Pastor Daniel Moura

Caminhando-com-Deus_imagem

NÃO VÁ SE DEUS NÃO FOR CONTIGO!

Respondeu o Senhor: “Eu mesmo o acompanharei, e lhe darei descanso”. Então Moisés lhe declarou: “Se não fores conosco não nos envies. Êxodo 33:14,15

 Não existe nada pior para um filho de Deus que caminhar sem a presença de Deus! Nesta vida estamos sujeitos a enfrentar grandes adversidades, mas imagine enfrentá-las sem a presença de Deus? As lutas são certas, Jesus disse em João 16:33 Que no mundo teríamos aflições, mas complementou dizendo: “Tende bom ânimo, eu venci o mundo!” Ao dizer tende bom ânimo, Jesus está afirmando que embora enfrentemos aflições não estaremos só! Em Mateus 28:20b Jesus ainda diz: E eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos. Amém. Entendemos que enfrentar problemas é comum a todo homem, porém terrível é enfrentar os problemas sem a presença de Deus. O salmista Davi tinha essa consciência ao escrever o verso 4 do Salmo 23. “Mesmo que eu ande por um vale de trevas e morte, não temerei perigo algum, pois tu estás comigo; a tua vara e o teu cajado me protegem”. É essa certeza que necessitamos ter quando enfrentamos tribulações, que Deus está conosco e por pior que seja o momento não devemos temer mal algum! No Antigo testamento o profeta Isaías escreve no capítulo 43 nos versos um e dois que a presença de Deus é certa na hora da angústia. “Mas agora, assim diz Yahweh que te criou, ó Jacó; e que te deu forma ó Israel: “Não temas, porquanto Eu te salvei”. Convoquei-te pelo teu nome; tu és meu! Quando passares pelas águas, Eu serei contigo; quando, pelos rios, eles não te submergirão; quando caminhares pelo fogo, não te queimarás, nem a chama arderá em ti”.

Precisamos crer que no dia mal estamos guardados pela fidelidade de Deus, mas precisamos considerar o fato de que podemos enfrentar dificuldades sem a presença de Deus! No verso 3 do capítulo 33 de Êxodo Deus dá uma triste notícia a Moisés: “Vão para a terra onde mana leite e mel. Mas eu não irei com vocês, pois vocês são um povo obstinado, e eu poderia destruí-los no caminho”. E qual foi a reação do povo ao ouvir isso? O povo pôs-se a prantear! (verso 4). Claro, como o povo de Deus sobreviverá sem Deus? O grande problema aqui é que muitas vezes Deus não pode ir conosco! Vejam que Deus justifica sua palavra dizendo que não vai com o povo porque o povo era obstinado e que por isso Deus seria obrigado a destruí-los. Deus estava se referindo ao pecado do povo.

 Quando Deus não está comigo?

A verdade é que tem vezes que Deus está conosco e tem vezes que ele não está! E quando é que ele não está? O que pode fazer Deus se afastar dos seus filhos? Vejamos o que o profeta Isaías declara no capítulo 59 e no verso 2. “Mas as vossas iniquidades fazem separação entre vós e o vosso Deus; e os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós, para que não vos ouça”. O pecado nos separa de Deus! O Pecado atrai justiça, e de acordo com as palavras de Deus no verso 3 do capítulo 33 de Êxodo  por amor ao povo Deus não queria manifestar a sua justiça para não destruí-los,  porém, não existe nada pior para um filho de Deus que não ter mais a presença do seu Pai! O povo Hebreu pranteou porque entendia que eles nada podiam fazer sem a presença de Deus, mesmo Deus dizendo no verso dois que enviaria seu anjo, isso não consolou o povo, eles entendiam que nada poderia substituir a presença de Deus, nem mesmo seu anjo!

 Se Deus não for, não vá!

A partir do verso doze, Moisés insiste com Deus por sua presença na caminhada, e em completo atrevimento ele lembra Deus de suas palavras acerca de sua fidelidade com o povo. Moisés entendia quão grave é andar sem Deus então ele roga a Deus dizendo: Se me vês com agrado, revela-me os teus propósitos, para que eu te conheça e continue sendo aceito por ti. Lembra-te de que esta nação é o teu povo! (verso13). E no Verso quinze em total desespero Moisés se posiciona dizendo: Se a tua presença não for conosco, não nos faça subir deste lugar! Um correto ato de desespero, Moisés entendia que a presença do anjo simboliza a benção de Deus, mas ele não queria caminhar apenas com a benção, ele queria caminhar com o abençoador. Seu clamor é tão intenso que o coração de Deus se compadece. Respondeu o Senhor: “Eu mesmo o acompanharei, e lhe darei descanso”. (Verso 14).

 Nunca se satisfaça com menos do que a presença de Deus!

Vivemos dias em que a presença de Deus tem sido trocada por bênçãos materiais, para muitos as bênçãos são suficientes, porém até mesmo bênçãos que são recebidas de Deus e não são administradas por ele podem se tornar maldição. Hoje é natural ver cristãos tomando decisões sem ao menos questionar se essa decisão é ou não a vontade de Deus; cristãos se casam, formam sociedade, compram, vendem, sem se importar se a presença de Deus estará com eles nesses processos. Imagine um casamento sem a presença de Deus? Uma sociedade? Precisamos ter a consciência de que ao realizarmos algo fora da presença de Deus aquilo se torna nossa responsabilidade e não dele. Pecamos ao tomar decisões que não são aprovadas por Deus e por isso mesmo Deus se afasta nos deixando sozinhos.

 Conclusão

Se Deus não for, não vá! Se Deus não mandar, não faça! Não escolha pagar o preço por ir sem a presença de Deus! Não construa muros que ao invés de te proteger se transformarão em prisões para sua vida!

“Passamos a vida construindo muros, e o mesmo muro que nos defende é aquele que nos prende! Deus nos criou livres, temos livre-arbítrio, ou seja, direito de escolha. Somos responsáveis por nossas escolhas, pois somos os construtores das muralhas que nos prendem”. Trecho do meu livro “O Caminhar Cristão”

Podemos mudar o propósito de nossas construções, uma fortaleza pode se tornar uma prisão! Construímos fortalezas com Deus, mas construímos prisões sem ele!

Busque a presença de Deus, clame por ela até que ela venha! E repito, se Deus não for não vá!

Compartilhe esta palavra, ajude-me a abençoar mais pessoas!

Abraços

Pastor Daniel Moura

 

 

Diga ao povo

NÃO PARE NA CAMINHADA!

Então disse o Senhor a Moisés: Por que clamas a mim? Dize aos filhos de Israel que marchem. Êxodo 14:15

 Recuar, voltar atrás em meio à crise é típico do ser humano seja ele cristão ou não. A crise pode desorientar, tirar a fé, desanimar e sobretudo roubar nosso foco. Quando lemos a passagem bíblica no livro do Êxodo no capítulo 14 e no verso 3 diz que os filhos de Israel estavam confusos e embaraçados na terra, porque o deserto os cercou. Imagine um povo que já havia passado por tanta coisa, mais de 400 anos de escravidão e agora pela primeira vez eles experimentam o gostinho da liberdade até que se veem cercados novamente; o deserto, Faraó vindo com seu exército e a frente o mar, essa pressão deixou o povo confuso e embaraçado!

 O que você faz quando se sente confuso e embaraçado?

É uma boa pergunta! Qual a sua reação quando você está sendo pressionado por todos os lados? Quando algo acontece e frustra sua expectativa? Infelizmente nossa primeira reação nunca é boa, temos uma grande dificuldade em enfrentar pressões e geralmente enfrentamos de forma negativa, foi assim com o povo Hebreu! “E disseram a Moisés: Não havia sepulcros no Egito, para nos tirar de lá, para que morramos neste deserto? Por que nos fizeste isto, fazendo-nos sair do Egito? Não é esta a palavra que te falamos no Egito, dizendo: Deixa-nos, que sirvamos aos egípcios? Pois que melhor nos fora servir aos egípcios, do que morrermos no deserto”. Êxodo 14:11,12 Uma reação extremamente negativa e até inesperada visto que esse povo vivenciou a ação sobrenatural de Deus através das dez pragas enviadas contra o Egito para liberta-los. O problema é que pressão gera amnésia! Sim, uma amnésia temporária, que faz com que o indivíduo foque toda sua atenção no problema que vê a sua frente! Essa confusão mental em meio ao embaraço faz com que a pessoa enxergue somente o problema e nada mais, por isso nesses momentos precisamos aprender a ter a calma! Eu sei que não é fácil, calma é quase um superpoder em meio a pressão. Rsrsrsrs, mas é um exercício necessário!

Agindo de forma positiva!

Vou usar aqui aquela velha frase que não sei quem é o autor: “Quando você não sabe o que fazer, o melhor é não fazer nada!” Na verdade, prefiro alterar um pouco a frase e deixa-la assim: “Quando você não sabe o que fazer, o melhor é parar, orar e esperar Deus falar!” Creio que ela fica melhor assim! Manter a calma nos momentos de pressão é imprescindível para se tomar uma decisão racional e acertada. Não podemos nos deixar levar pela emoção, pois certamente faremos aquilo que o povo Hebreu fez, murmurar. E murmurar, reclamar não vai resolver o problema! Manter a calma pode te trazer esperança! Nos momentos de adversidade procure olhar para trás trazendo a sua memória aquilo que pode te trazer esperança! “Quero trazer a memória, o que pode me trazer esperança.” Lamentações 3:21 Procure olhar para trás, traga a sua lembrança o cuidado de Deus com sua vida até então. Lembre-se que o Deus que cuidou de você no passado é o mesmo que cuida no presente e continuará cuidando no futuro! O cuidado de Deus não se ausenta em meio a pressão, porém é necessário parar e se acalmar para perceber que Deus continua cuidando das nossas vidas quando atravessamos o vale da sombra da morte, ou quando passamos pelo fogo ou somos submergidos pelas águas. Deus não é bipolar e inconstante como o homem, ele é Fiel em todo tempo! Então, revista-se de esperança e espere com paciência o agir de Deus!

Uma resposta não esperada!

Nem sempre Deus nos dá a resposta que gostaríamos de ouvir! Imagino aquele povo cansado, frustrado, sobrecarregado de sentimentos desconfortantes esperando que Deus simplesmente envie do céu uma bola de fogo e destrua Faraó e seu exército, mas Deus na sua soberania coloca um povo diante de um novo desafio! “Então disse o Senhor a Moisés: Por que clamas a mim? Dize aos filhos de Israel que marchem. E tu, levanta a tua vara, e estende a tua mão sobre o mar, e fende-o, para que os filhos de Israel passem pelo meio do mar em seco”. Êxodo 14:15,16. Aquele povo não aguentava mais desafios, eles queriam celebrar a saída do Egito, descansar livremente sem regras ou obrigações, eles não queriam marchar, muito menos em direção ao mar. Mas, Deus não facilita as coisas para os seus filhos ele sempre nos coloca diante de um novo desafio. Muitas pessoas param em meio as adversidades, se desviam da fé se esquecendo de todas as boas obras que Deus realizou em suas vidas. Deus estava ensinando ao povo que nem tudo na vida é fácil e que as grandes conquistas são alcançadas com muito esforço! Por vezes queremos fugir dos desafios que Deus coloca diante de nós fugindo e parando. A adversidade também produz isso, paralisia e por isso mesmo Deus enviou a palavra dizendo: Dize aos filhos de Israel que marchem; é interessante Deus chamá-los de filhos de Israel, quem era Israel se não Jacó aquele que lutou com Deus e prevaleceu? Deus queria que os filhos de Israel olhassem para trás e se lembrassem de Jacó e de sua perseverança a ponto de lutar com Deus por sua benção e prevalecer! Não podemos nos esquecer de que somos filhos, nossa paternidade precisa ser reafirmada no nosso coração nesses momentos! E sabendo quem é nosso Pai não vamos nos surpreender se ele nos colocar na hora da adversidade diante de um novo desafio. Um novo desafio quer dizer que certamente ele está nos preparando para um novo milagre! Parar para ouvir Deus falar não significa ficar paralisado, mas parar para avançar!

 

Sempre adiante!

A jornada cristã não é fácil, Jesus bem disse: Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo. João 16:33. Em meio às adversidades precisamos nos lembrar dessas palavras, ter bom ânimo no dia mal e não parar, mas avançar! Durante nossa jornada na terra seremos constantemente pressionados e desafiados, mas precisamos ter como meta nossa chegada ao céu. E chegar ao céu não é algo tão fácil, exige esforço, dedicação, fé, equilíbrio e muita, muita perseverança! Desde os dias de João Batista até agora, o Reino dos céus é tomado à força, e os que usam de força se apoderam dele. Mateus 11:12

Não pare, marche! Siga adiante sem olhar nem para direita nem para a esquerda, olhe para trás para buscar esperança e para o alvo que é Cristo! Imagine se o povo tivesse ficado parado com medo do mar, eles não veriam o milagre acontecer! Eles marcharam em direção as águas e por isso viveram o milagre. “Então Moisés estendeu a sua mão sobre o mar, e o Senhor fez retirar o mar por um forte vento oriental toda aquela noite; e o mar tornou-se em seco, e as águas foram partidas. E os filhos de Israel entraram pelo meio do mar em seco; e as águas foram-lhes como muro à sua direita e à sua esquerda. E os egípcios os seguiram, e entraram atrás deles todos os cavalos de Faraó, os seus carros e os seus cavaleiros, até ao meio do mar”. Êxodo 14:21-23

Glória a Deus! Avance com fé certamente Deus te surpreenderá!

Grande abraço!

Pr. Daniel Moura