Sendo abençoado, para viver a bênção!

Todas as vezes que atendo casais percebo que não é possível tratar a maioria das situações e conflitos de forma horizontal, ou seja, entre marido e mulher. Muitos desses aconselhamentos indicavam a existência de laços problemáticos provenientes de um ou ambos os pais.

Foi aí que Deus chamou minha atenção para o texto de Gênesis 2:24. “Por isso, deixará o homem seu Pai e sua Mãe e se unirá a sua mulher, ambos serão uma só carne. ”  Começou a ficar claro que muitos casais não conseguiam manter-se unidos em várias áreas de suas vidas e que há sempre áreas de total incompatibilidade que eram difíceis de serem trabalhadas então, comecei a perguntar ao Senhor a razão de tal problema, a resposta veio através do texto acima.

Em qualquer área de sua vida em que você não consiga exercer o ato de partir, é impossível que você alcance unidade. A despedida emocional das suas raízes abre espaço em sua mente para se unir ao novo!

O que o texto quer dizer com “deixar pai e mãe? ”  O texto não é sobre uma mudança geográfica é uma ação de partir que procede da emoção e do coração. Ao se casar você não precisa mudar de cidade para partir da casa de seus pais, a união a realidade do casamento já provoca essa mudança. O grande problema é que não deixamos pai e mãe em todas as áreas de nossas vidas, por isso se torna impossível a união completa com nosso cônjuge. No aconselhamento entendi a necessidade de trabalhar efetivamente o processo saudável de separação emocional do pai e mãe e só depois prosseguir tratando as demais situações.

Quando realizo casamentos levo um texto para ser lido pelos pais no ato da cerimônia. Os pais ao lerem abençoam seus filhos os liberando para crescer e se tornar uma só carne com seu cônjuge, mas, percebi que precisava ir além dessa declaração, entendi que ela faz total sentido para os pais que estão lendo, contudo, para os filhos apenas ouvir tal declaração não era suficiente pois o processo de partir é mais complexo que imaginava.

“Se um homem e uma mulher não passarem por esse processo de separação, eles não conseguirão se unir integralmente.”

Entendi que para ajudar os casais precisa partir da questão mais importante para a partida: O que leva alguém a deixar pai e mãe? O motivo dessa separação determina se o sentimento de partir está ou não resolvido dentro do coração! Partindo dessa certeza comecei a perceber que havia um padrão que se repetia na maioria dos casais, padrão esse que se repetia nas linhagens bíblicas. Os filhos que eram abençoados por seus pais passavam pelo processo de separação “partir” de forma saudável, e aqueles que por qualquer motivo não eram abençoados não conseguiam.

Me lembro de atender uma jovem senhora de 45 anos que estava noiva e que não conseguia se alegrar ou se envolver com os preparativos do casamento. Ela estava presa pela dúvida em seu coração se aquele casamento não resultaria em mais uma separação como de outras que ela teve em sua vida, foi aí que imediatamente perguntei sobre a relação dela com os pais e o que os pais achavam do casamento. Ela me respondeu dizendo que os pais amavam o genro, mas que sentiam muito perder uma filha tão boa que cuidava tanto deles. Disse também que em outros relacionamentos quando tinha algum problema ao procurar o pai para um aconselhamento o pai concluía as conversas dizendo: Na verdade você é a filhinha do papai e vai ficar aqui para cuidar de mim e de sua mãe!

Como que alguém que está emocionalmente preso a responsabilidade de permanecer sendo um só com os pais irá conseguir se tornar um só com seu cônjuge? Nesse caso o pai não estava percebendo que além de não abençoar ele ainda estava amaldiçoando! A maldição ou a falta da bênção ata a identidade aos pais e impede que haja uma união integral.

Assim como no caso dessa jovem senhora eu me deparei com diversos casos semelhantes; casamentos que não rompem, mulheres que não saem de sua adolescência emocional e por isso não dão conta de viver o matrimônio, homens que não crescem emocionalmente porque sempre foram superprotegidos pela mãe e outros.

O proposito dessa matéria é ajudá-lo a identificar algumas causas de fundo emocional que porventura estão afetando sua vida e seu relacionamento, conduzindo sua vida àquele que é capaz de resolver todas as questões da alma do homem, JESUS CRISTO, que têm um profundo desejo em curar seus filhos!

“Não há bálsamo em Gileade? Não há médico? Por que será, então, que não há sinal de melhora e cura para a enfermidade de meu povo? ” Jeremias 8:22

Há algumas formas mais comuns de manter-se preso aos pais.

  • Afastar-se do pai e desconsidera-lo! Quebrar o relacionamento pai e filho através de um divórcio emocional que declara: Se ele não quer me abençoar ou jamais pedirei a bênção dele! Não preciso da bênção dele! Agindo assim você carrega sobre si um problema não resolvido o que inconscientemente libera em você atitudes em relação ao seu companheiro que reproduzem as atitudes que você mais odeia em seu pai.

 

  •     A decisão de alcançar a bênção do pai por meios inadequados como: Quando for alguém na vida ele virá para me abençoar! Quando ele ver meus filhos crescendo me abençoará! Isso é passar a vida costurando suas conquistas ao intuito de ferir o pai e com isso alcançar a bênção. Quem age assim está atando sua vida ao passado e não consegue se unir ao seu cônjuge!

 

  •     Casar-se com alguém que os pais reprovam. Isso infelizmente isso é muito comum e nem sempre os pais aprovam a pessoa que escolhemos, eles concluem que ela nunca é suficientemente boa! Passar a vida buscando a aceitação dos pais é um atraso de vida!

 

Conclusão

A simples compreensão dessa verdade já coloca a sua vida em um nível de liberdade, contudo é importante que essa compreensão não fique apenas em sua mente mais transborde em ações. Recomendo que você coloque em oração sua relação com seus pais, peça a Deus para restaurar as brechas que ficaram abertas curando suas emoções. Sobretudo ore se liberando para crescer e para viver uma vida plena de comunhão e integração com seu cônjuge. Se você puder procure seus pais e ore com eles esclarecendo essa verdade que chegou ao seu coração, peça a eles para orar com você abençoando e liberando sua vida para crescer!

Se isso não for impossível imediatamente estude, entenda o princípio de bênção e maldição na palavra de Deus e busque em oração a oportunidade de obter a bênção e a liberação de seus pais, certamente nesse tempo Deus estará agindo em seu favor!

Hoje, passados os anos, tenho profunda consciência da importância da bênção dos pais na vida dos filhos. É a Sagrada Escritura que nos alerta da necessidade dessa bênção. Toda a Bíblia está repleta de passagens indicando a importância que Deus dá aos pais na vida dos filhos. Os pais são os cooperadores de Deus na criação dos filhos e, dessa forma, são também um canal aberto para que a bênção divina chegue aos filhos.

O livro do Deuteronômio registra o quarto mandamento: “Honra teu pai e tua mãe, como te mandou o Senhor, para que se prolonguem teus dias e prosperes na terra que te deu o Senhor teu Deus” (Dt 5,16). Desta forma, Deus promete vida longa e prosperidade àqueles que honram os pais. São Paulo disse que esse é “o primeiro mandamento acompanhado de uma promessa de Deus” (Efésios 6:2). “Honra a teu pai e tua mãe”; este é o primeiro mandamento com promessa, para que vivas bem e tenhas vida longa sobre a terra. …

Os livros dos Provérbios e de Eclesiastes estão cheios de versículos que trazem a marca da presença dos pais. Eis um deles: “Ouça, meu filho, a instrução de seu pai e não despreze o ensino de sua mãe. Eles serão um enfeite para a sua cabeça, um adorno para o seu pescoço. ”  Provérbios. 1:8-9

Não é simplesmente uma tradição do passado ou mera formalidade social. Muito mais do que isso, a Escritura nos assegura que a bênção dos pais é algo eficaz e real, isto é, um meio que Deus escolheu para agraciar os filhos. Deus quis outorgar aos pais o direito e o poder de fazer a Sua bênção chegar aos filhos. É a forma que Deus usou para deixar clara a importância dos pais. Analisemos estas passagens marcantes:

“Filho meu, ouve a instrução de teu pai e não menosprezes o ensino de tua Pois eles formarão uma coroa de bênçãos para a tua cabeça e colar de honra. ” Provérbios 1:8,9

Provérbios 4:1 “Ouvi, filhos meus, a instrução do pai; prestai atenção, a fim de alcançardes. ”

Provérbios 6:20 “Filho meu, obedece à orientação de teu pai e não abandones o ensino de tua mãe. ”

Provérbios 23:22 “Ouve o teu pai, pois ele te gerou, e não desprezes tua mãe, quando for idosa. ”

Os textos acima nos tornam conscientes da importância da bênção dos pais, e você que está lendo essa matéria pode se perguntar: O que posso fazer para mudar o passado? Realmente não é possível mudar o passado, mas é possível fazer algo no presente! Você pode agir corretamente hoje! O que você fizer certo hoje determinará a bênção sobre seu presente e sobre seu futuro e o futuro da sua geração!

Fique na paz!

Divulgue essa matéria, abençoe mais vidas!

Grande abraço.

 

Pastor Daniel Moura

1 responder
  1. Jonas Torres
    Jonas Torres says:

    Palavras sábias e edificantes nos levando ao conhecimento!
    Obrigado pastor Daniel!
    Deus abençoe sempre!

Deixe o seu comentário

É obrigatório inserir seu nome e email.
Não publicaremos ou usaremos seu email. Esta medida serve apenas para evitar spans nos comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *